Acessibilidade

Tamanho da Fonte

Alto contraste
Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para o rodapé 3
TCE/TO > Sala de imprensa > Notícias > Roda de conversa aborda o tema suicídio e sua relação com o adoecimento mental

Roda de conversa aborda o tema suicídio e sua relação com o adoecimento mental

236 Visualizações
Publicado: 17 de setembro de 2021 - Última Alteração: 20 de setembro de 2021

Tamanho da Fonte

Iniciativa faz parte da campanha Setembro Amarelo do programa Qualidade de Vida

O Tribunal de Contas do Tocantins (TCE/TO) promoveu a primeira roda de conversa da campanha Setembro Amarelo de 2021 na tarde desta sexta-feira, 17, no Instituto de Contas 5 de Outubro. A ação faz parte do programa Qualidade de Vida, desenvolvido pela Diretoria de Recursos Humanos (RH) do Tribunal.

A psicóloga Juliana Marinho Ribeiro conduziu a roda de conversa realizada com servidores com a participação do presidente da Corte, conselheiro Napoleão de Souza Luz Sobrinho; da diretora-geral de RH, Osmarina Rodrigues Andrade; da coordenadora de Saúde, Marleide Alexandre Aguiar e da responsável pela Assessoria de Comunicação, Dhenia Gerhardt. A segunda roda de conversa será na quinta-feira, 23, também no Instituto de Contas.

A psicóloga Juliana Marinho abriu a roda de conversa falando sobre os impactos que a pandemia trouxe e que aumentaram os fatores de risco ao adoecimento mental e ao suicídio. Ela abordou os indícios de mudança de comportamento, fazendo um alerta para o que possa indicar um pensamento suicida ou uma tentativa. Juliana também falou sobre quais são as alterações comportamentais de quem está passando por depressão, que podem estar relacionadas a transtornos e como é sentir-se adoecido e com pensamentos suicidas.

Como ajudar

Na sua explanação, a psicóloga falou sobre como ajudar a quem apresentar sintomas de adoecimento mental ou mudanças de comportamento. Segundo ela, as mudanças de comportamento mais comuns são irritação mais frequente, isolamento, falta de vontade de realizar tarefas que faziam parte da rotina da pessoa e desinteresse pela higiene ou cuidado pessoal.

Juliana ressaltou como deve ser a abordagem dessa pessoa e também como buscar ajuda quando esses sinais são identificados em si mesmo. “É importante não julgar, não dar opinião do tipo você ‘precisa sair dessa’, ou pressionar a pessoa para que volte à rotina que tinha antes de adoecer”, frisou Juliana. Ela ressaltou também que o ideal é oferecer apoio à pessoa mostrando que ela pode contar com ajuda.

Osmarina Rodrigues (à esq.) e Marleide Aguiar ao lado da psicóloga Juliana Marinho

Para a psicóloga é importante atuar na prevenção. “Precisamos ficar atentos, fazer algo pelas pessoas e por nós mesmos e colocar em alerta a que ponto é o adoecimento para todos”, disse. Na roda de conversa, ela contou histórias reais, exemplificando as situações do tema abordado.

Ao final da roda de conversa, o conselheiro presidente, Napoleão de Souza Luz Sobrinho, falou sobre a importância do momento. “Nós enfrentamos um período longo de distanciamento, não foi e não está sendo fácil, tivemos perdas de colegas de trabalho e isso afeta a todos nós. Então considero de grande importância a presença e o trabalho da psicóloga aqui no Tribunal”, disse o presidente.

Com uma boa participação de servidores, durante a roda de conversa alguns fizeram perguntas e também relataram experiências com amigos e familiares. A servidora Maria de Jesus da Costa e Silva, assessora jurídica, avaliou como importante a conversa realizada. “Achei muito esclarecedor principalmente no aprendizado de como lidar com as pessoas que passam por problemas”, disse.

Outra servidora, Kátia Caetano da Silva Barbosa, da diretoria-geral de Controle Externo, disse que “a roda de conversa foi produtiva para que saibamos como lidar com a depressão e o suicídio e também como devemos recorrer à ajuda e ajudar ao outro”, avaliou.

A diretora-geral de RH, Osmarina Rodrigues informou que o programa Qualidade de Vida, do qual a campanha Setembro Amarelo faz parte, tem o objetivo de propiciar bem-estar aos servidores. “É uma preocupação do TCE/TO que o servidor esteja sempre bem e que saiba que temos o cuidado a sua saúde, seja física ou mental”, afirmou.

Servidores acompanharam a roda de conversa durante à tarde desta sexta-feira
Na próxima semana acontecerá a segunda roda de conversa