Acessibilidade

Tamanho da Fonte

Alto contraste
Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para o rodapé 3
TCE/TO > Sala de imprensa > Notícias > Exposição “Mãos de Contas” reúne a diversidade da comida típica ao artesanato

Exposição “Mãos de Contas” reúne a diversidade da comida típica ao artesanato

43 Visualizações
Publicado: 3 de dezembro de 2019 - Última Alteração: 22 de dezembro de 2020

Tamanho da Fonte

Evento segue até amanhã no hall do prédio sede do Tribunal de Contas

“É sempre um prazer participar da Exposição Mãos de Contas, ainda mais para mim que fiz algumas oficinas de artesanato oferecidas pelo Instituto de Contas. Hoje posso produzir e vender meus produtos para complementar a renda e ainda ajudar o próximo”. A frase é da auxiliar operacional do Tribunal de Contas do Tocantins (TCE/TO), Maria Fernandes de Araújo, que participa da exposição vendendo tapetes, almofadas, cobre jarras, chaveiros e lacinho para cabelo.

Quem também participa da exposição desde a primeira edição é a servidora aposentada Belarmina Ribeiro de Freitas, a Belinha, que afirmou: “o Mãos de Contas é uma das ações que o Tribunal faz que mais valorizo. As pessoas trabalham com artesanato e fazem tudo com muito amor. Eu participei do PAI (Programa de Aposentadoria Incentivada), aposentei, mas estou aqui. Inclusive, estava na Europa e retornei só para participar deste evento para vender a farofa da Belinha, o oreia de macaco (bolo maranhense) e o pastelzinho com nutella e leite ninho. Graças a Deus foi sucesso de vendas”, afirmou Belinha.

A exposição conta com mais de 20 expositores comercializando os mais variados tipos de artesanatos como tapetes, almofadas, colchas de retalhos, biscuit, cobre jarros, bordados, pinturas em quadros, artesanatos de capim dourado, entre outros. Além disso, tem comidas típicas como farofa, cuca, cueca virada, doces e bolo no pote.

Para dona Terezinha Ferreira, que comercializa relógios, caixinhas e garrafas de vidro com materiais reciclados, o projeto mãos de contas é uma oportunidade para mostrar seu trabalho. “Já é o terceiro ano que participo e as vendas são sempre positivas. Também pego bastante encomendas, ano que vem estarei aqui novamente”, comemorou.

A artesã Edney Araújo conta que já ministrou oficina de biscuit para os servidores do Tribunal e que na oportunidade conheceu o projeto Mãos de Contas. “Hoje estou expondo meus produtos e o Mãos de Contas me deu essa oportunidade. A feira está bem organizada e movimentada, a expectativa é boa”, finalizou a artesã.

Abertura
O diretor-geral do Instituto de Contas 5 de Outubro, Júlio Edstron Secundino Santos, destacou que além do momento de união, o evento tem atividades voltadas as ações sociais e também para auxiliar os servidores e familiares. “É sempre importante este tipo de ação, principalmente neste momento próximo ao Natal. Quero agradecer ao Tribunal e todos os envolvidos que possibilitaram a realização da exposição e principalmente aos expositores. Queria ainda pedir aos nossos colegas servidores que compareçam e nos auxiliem nesta empreitada”, ressaltou o diretor.

Já a coordenadora de Planejamento e Desenvolvimento do Institucional de Contas, Daniela Olivo, ressaltou que neste ano serão dois dias de exposição, dando assim, mais oportunidades para que todos os servidores possam comprar os produtos ofertados no evento, que também tem o lado social. De tudo o que for vendido, 10% serão destinados ao Hospital Infantil de Palmas.

Projeto
O Projeto Mãos de Contas surgiu em 2000 durante a implantação do Programa de Gestão pela Qualidade Total no TCE/TO. Ele visa promover momentos de integração entre os servidores, descobrir e incentivar o desenvolvimento de habilidades artísticas, bem como contribuir com a elevação da autoestima de todos os participantes.

Durante o ano são realizadas oficinas de artes e artesanatos para os servidores da Corte, ocasião em que todos têm a oportunidade de aprimorar suas habilidades artísticas com a produção de artesanato, além da integração no ambiente com os colegas de trabalho.
No mês de dezembro, para encerrar o ano, é realizada a exposição e comercialização dos produtos confeccionados nas oficinas, além de comidas típicas.